Não basta ter esperança

Cartier Bresson

Vamos (nós?) fazer uma campanha política para vereadora em São Paulo, da nossa amiga Mari e do nosso projeto. Após discutir com alguns amigos, penso que melhor do que tudo para explicar a razão da campanha é esse poema do Mário Quintana. Pois queremos viver uma vida que vale a pena. Então, não, não basta ter esperança. Mas talvez baste tentar ser feliz.

A vida são
Deveres que nós
Trouxemos para
Fazer em casa

Quando se vê já são
Seis horas…
Quando se vê já é
Sexta feira;;;
Quando se vê já é
Natal…
Quando se vê já
Terminou o ano

Quando se vê, não
Sabemos mais por
Onde andam nossos amigos

Quando se vê,
Perdemos o amor da
Nossa vida

Quando se vê,
Passaram-se 50
Anos

Agora, é tarde demais
Para ser reprovado

Se me fosse dado,
Um dia, uma
Oportunidade,
Eu nem olhava o
Relógio

Seguiria sempre e em
Frente e iria.
Jogando pelo
Caminho. A casaca
dourada e inútil das horas

Seguraria todos os meu amigos,
Que já não sei onde e como
Estão e diria
Vocês são extremamente
Importantes para mim

Seguraria o meu amor,
Que está, há muito, à
Minha frente, e diria:
Eu te amo

Dessa forma, eu digo
Não deixe de fazer algo
Que gosta devido à
Falta de tempo.

Não deixe de ter alguém
Ao seu lado, ou de fazer
Algo, por puro medo
De ser feliz.

A única falta que será, será desse tempo
Que infelizmente
Não voltará mais.

Anúncios

Sobre Manoel Galdino

Corinthiano, Bayesiano e Doutor em ciência Política pela USP.
Esse post foi publicado em Arte e Cultura, Manoel Galdino, Política e Economia e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s