Boa notícia recente…

Somos muitos Severinos
iguais em tudo e na sina:
a de abrandar estas pedras
suando-se muito em cima,
a de tentar despertar
terra sempre mais extinta
.”

(Morte e vida Severina – João Cabral de Mello Neto)

Severino de 2002 é um pouco diferente, mas tão sofrido quanto…

Severino agora é trabalhador urbano, assalariado, com renda pouco variável e pequena, com 2 filhos para criar, continua vitima do caos social brasileiro… Severino é mais um brasileiro que se sujeitou a empréstimos bancários para conseguir sanar suas dívidas. Em um momento de turbulências em sua vida profissional, Severino passou 8 meses desempregados, período pequeno se comparado à média do país, mas suficiente para atolá-lo em dívidas…

Foi obrigado a encarar empréstimos bancários, cheque especial… E o óbvio aconteceu, ficou insustentável! Severino já não vivia mais, mesmo tendo arrumado emprego, o salário era insuficiente para cobrir o rombo financeiro que crescia a taxas de outro mundo. O mundo de Severino explodia… atrasos de pagamento de cartões de crédito, crediários, juros de mora, juros sobre juros, multas, acréscimos, taxas de cobrança…

Acabou, o calot… opa, essa palavra não pode, essa palavra é muito forte, muito deselegante, é melhor assim: o default aconteceu, a moratória aconteceu. Severino, pobre coitado não dormia mais, seu nome está no Serasa e no SPC, o que fazer agora? O que os outros vão pensar? O que irá dizer a comunidade?

Severino vivia uma crise total, com a mulher, com os filhos, com a família, com ele mesmo, com o mundo. Ele só pensa em pagar o banco, mesmo sendo assalariado, mesmo recebendo pouco, a fixação é uma só: retirar o nome do Serasa e SPC. Afinal desse jeito como ele pode conseguir um novo empréstimo bancário e até mesmo um crediário nas Casas Bahia?

Passado um período de 2 anos nesse inferno astral, Severino conseguiu fechar um acordo com seus credores, serão 4 anos de pagamento, com taxa de juros mensal dez vezes maior que a inflação. Mas Severino pensava, isso é justo, afinal estava tudo no contrato assinado. Foi a duras penas que esse período de pagamento passou, pagou cada prestação a muito, muito, muito custo mesmo, sua família que o diga… E quatro anos depois ele está livre, seu nome saiu do Serasa e do SPC. Realmente foi árduo, mas ele conseguiu. Isso mesmo, ele já pode até conseguir um novo empréstimo bancário e até mesmo um crediário nas Casas Bahia…

Severino após esse caos todo pode respirar e pode admirar a foto de sua família no porta retrato, foto de 2001 ainda: Vê seus filhos ainda com 10 anos de idade, hoje já estão com quase 18 anos, infelizmente não puderam continuar estudando pois não havia dinheiro, afinal tinham que pagar o banco. Vê sua mulher, agora uma senhora de 50 anos tem a saúde debilitada, não pôde pagar um convênio médico, afinal tinha que pagar o banco. Vê sua casa ainda nova, e agora ela está acabada, não pode reformar, afinal tinha que pagar o banco. Mas isso não importa, o que importa é que agora ele pode conseguir um novo empréstimo bancário e até um crediário nas Casas Bahia….

Ops, ia esquecendo… como bem diz o titulo do post, esqueci da ótima notícia recente: a consultoria americana Standard & Poors eleva o Brasil a grau de investimento.

Esse post foi publicado em ciência, Política e Economia, Sem-categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s