Saudades do Surrealismo

Dali

Houve um tempo em que existia um movimento surrealista. Hoje em dia, o mundo é muito mais surrealista do que podia pensar o Dali ou outro expoente do surrealismo. Eis abaixo uma prova viva, que vi no blog do Marcelo Coelho. É um diálogo entre Kissinger e Mao, lá nos anos 70. Alguém tem alguma explicação para isso?:

MAO: O comércio entre nossos dois países no momento é lamentável. O senhor sabe que a China é um país muito pobre. Não temos muita coisa. O que temos de sobra são mulheres. (risos)

KISSINGER: Não há cotas nem tarifas para elas.

MAO: Então, se vocês as quiserem, podemos dar algumas para vocês, umas dezenas de milhares. (risos)

ZHOU ENLAI: Naturalmente, numa base voluntária.

MAO: Deixemos elas irem para o seu país. Vão criar grandes desastres. Dessa maneira vocês diminuirão nossos sacrifícios. (risos)

KISSINGER: Nosso interesse em ter ligações com a China não é comercial. É estabelecer um relacionamento necessário para as relações políticas que ambos temos.

MAO: Nós não entendemos os seus procedimentos. Seus assuntos domésticos, nós não entendemos. Há muitas coisas em suas relações exteriores que não entendemos também.

KISSINGER: Vocês têm um modo de agir mais direto, talvez mais heróico, do que nós. Às vezes temos de usar métodos mais complicados devido a nossa situação doméstica. Mas nos nossos objetivos fundamentais iremos agir muito decididamente e sem consideração pela opinião pública. Assim, se um perigo real se apresenta ou se intenções hegemônicas se tornam ativas, iremos certamente resistir a elas onde for que apareçam. E como o nosso presidente disse ao senhor, em nosso próprio interesse, não como gentileza a quem quer que seja.

MAO: Vocês querem mulheres chinesas? Podemos dar dez milhões a vocês. (risos, especialmente entre as mulheres presentes)

KISSINGER: O presidente Mao está melhorando a sua oferta.

MAO: Podemos deixá-las inundar o seu país com desastres e assim prejudicar os seus interesses. Em nosso país temos mulheres demais, e elas têm um jeito de fazer isso. Elas dão à luz crianças, e temos crianças em demasia. (risos)

KISSINGER: É uma proposta tão nova, que teremos de analisá-la.

MAO: Vocês podem organizar uma comissão para analisar o assunto. É o modo pelo qual a visita de vocês à China estará solucionando a questão populacional. (risos)

KISSINGER: Iremos estudar a utilização e a logística.

MAO: Se você pedir a elas para irem, creio que desejarão ir.

KISSINGER: Certamente desejamos recebê-las.

MAO: Hoje andei dizendo alguns absurdos pelos quais terei de pedir perdão às mulheres chinesas.

KISSINGER: Soaram muito atraentes para os americanos presentes. (Mao e as mulheres riem)

WANG HAI-JUNG: Se as atas desta conversa fossem tornadas públicas, acarretariam raiva em metade da população.

MAO: Quer dizer, metade da população da China.

ZHOU ENLAI: Antes de tudo, as atas não irão transpor os gabinetes do Ministério das Relações Exteriores.

MAO: Podemos chamar isto de uma reunião secreta. Deveria ser tornada pública, ou mantida em segredo?

KISSINGER: O senhor decide. Estou disposto a torná-la pública se o senhor quiser.

MAO: Então as palavras que dissemos sobre as mulheres deverão ser tornadas inexistentes. (risos)

KISSINGER: Serão eliminadas das transcrições (risos). Começaremos a analisar a proposta quando eu voltar.

MAO: Sabe, os chineses têm um plano para prejudicar os Estados Unidos, que é mandar dez milhões de mulheres para os Estados Unidos e prejudicar os seus interesses aumentando a sua população.

KISSINGER: O presidente Mao fixou a idéia tão fortemente em meu cérebro que irei certamente utilizá-la em meu próximo encontro com a imprensa. (risos)

MAO: Para mim não há problema. Não tenho medo de nada.

Anúncios

Sobre Manoel Galdino

Corinthiano, Bayesiano e Doutor em ciência Política pela USP.
Esse post foi publicado em Manoel Galdino e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s