Academia na blogosfera

Salvo engano, a academia brasileira não participa da blogosfera. E não estou necessariamente falando em participar de blogs como o do Nassif ou PHA. Estou falando em terem blogs próprios e/ou comentarem/lerem os blogs uns dos outros.

Pra falar a verdade, não posso falar da academia em geral, pois desconheço completamente o que se passa em outras áreas que não a ciênica política. Então, tudo o que disser (e já falei aí em cima) vale só pra política.

Uma razão possível para a quase inexistência dessa participação é que, bem, blogar custa tempo e os professores precisma pesquisar e dar aulas. Isso seria uma boa razão, aparentemente.

Mas, sinceramente, descarto essa possibilidade por duas razões. Uma é que nos EUA, onde os professores são claramente mais produtivos (qualitativamente e quantitativamente), os principais nomes da ciência política norte-americana tÊm blogs ou, quando não têm, comentam uns nos blogs dos outros.

Em segundo lugar, os cientistas políticos dos EUA usam os blogs para analiar a política de lá ou internacional com o conhecimento que têm e para discutir artigos deles e dos outros com os leitores e alunos, melhorando assim sua capacidade analítica, de exposição e conhecimento.

Claro que a minha evidência empírica não é sistemática, isto é, minha amostra é viesada, não é representativa da academia de lá e também aqui posso desconhcer alguns blogs de cientistas políticos. Mas o que me chama a atenção é ver que as maiores feras de lá participam dessa blogosfera, e aqui no Brasil, não.

O úiltimo exemplo que topei foi com uma discussão entre Keith Krehbiel e Nolan Macarthy, no blog do último, sobre a mudança da partido de um senador chamado Specter, que virou democrata. Fiquei sabendo da discussão pelo blog The Monkey Cage. E querem saber? Às vezes aprendo mais lendo alguns desses blogs e outros (especialmente do Gelman) que lendo alguns papers ou indo em seminários aqui no Brasil.

Não é que uma coisa substitua a outra, mas é cansativo ver que enquanto aqui, a maior parte dos professores são funcionários de universidadas públicas e se limitam a trabalhar para um público restrito, e lá fora o conhecimento produzido é cada vez mais compartilhado com um público maior. E não falo só dos Blogs não, falo também da disponibilização das aulas gravadas em universidades como Harvard e Yale.

Se alguém tiver alguma explicação para esse fenômeno, por favor compartilhe conosco. Quero entender a cabeça de avestruz que é a ciência política brasileira.

Sobre Manoel Galdino

Corinthiano, Bayesiano e Doutor em ciência Política pela USP.
Esse post foi publicado em Política e Economia e marcado , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Academia na blogosfera

  1. Serna disse:

    o pesquisador brasileiro tem ojeriza a ser avaliado, submeter suas idéias e seu debate ao julgamento público deve ser a ultima coisa que estão cogitando em suas torres de marfim com goteiras

  2. Marcel K. disse:

    Bom texto Maceió.
    Não sei qual a faixa etária dos professores norte-americanos, mas me vem a cabeça essa idéia, mas acredito que eles em sua maioria devem ser mais jovens.
    Acho tb que a internet é no Brasil algo de 10 anos, não sei o tempo em que ela é usada com a mesma intensidade nos Estados Unidos, mas deve ser mais tempo.
    Qto ao comentário do Humberto, ao mesmo tempo que eles tem ojeriza a ser avaliados, acredito que eles adorariam ter reconhecimento e serem seguidos.

  3. Manoel Galdino disse:

    Pode ser…
    Eu estou tentando descobrir as razões…
    Quando tiver alguma pista nova, coloco no blog.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s