Pais e Filhos…

Depois de uma longa jornada sem postar nada nesse blog, gostaria antes de mais nada me desculpar “in loco” com o meu companheiro Manoel, principalmente por ter abandonado as postagens. Mas creio também que surgiram fatos novos nesse intervalo que de certa forma servem como desculpa.

O primeiro fato é que no começo de dezembro comecei a escrever em um blog de futebol. Ele trata basicamente de futebol e São Paulo F.C. E isso tomou todo o tempo livre que dispunha para essa empreitada, agora que já formatei minhas participações por lá, creio que as coisas se assentam. Quem tiver interesse em ver minhas postagens nesse outro blog, segue o link.

O segundo fato é que prestei Fuvest para o curso de Filosofia. Embora tenha estudado muito pouco para o exame, uma parte do tempo teve que ser dirigida para estudos pré-vestibulares. O resultado ainda não saiu mas creio que caso seja de aprovação, esse blog ganhará muito em conteúdo com novos temas e mais embasamento para análises.

O terceiro fato, esse sim de importância absurda, é que serei PAI!!! Sim, minha mulher está grávida. Fato que causou uma enorme revolução em minha vida. Interessante lembrar que compartilhei nesse blog, vários momentos de alegria com todo o processo do meu casamento e agora compartilho com vocês novamente essa nova surpresa.

Confesso a vocês que sempre fui uma pessoa contra filhos. Sempre tive aquela idéia de Bráz Cubas de “não passar a ninguém o legado de minha (nossa) pobreza”, da falta de confiança quanto ao andamento do Mundo, das condições atuais para a criação de um filho. Ao mesmo tempo, amigos me convenceram de aspectos positivos (e mesmo racionais) dos filhos: como educá-lo e formar um bom cidadão é parte integrante para a formação de um mundo melhor, transferência de sua carga genética para as próxima gerações.

Mas depois do turbilhão de emoções pós notícia, consigo agora parar e refletir melhor sobre tudo isso. Tudo o que pensei “racionalmente” sobre a paternidade é válido, mas sua validade é frágil e consegue absorver apenas a superfície de tudo que o tema abrange. Quero dizer, deve-se pensar nesses aspectos mas essas são as menores das razões.

Consigo entender com mais clareza que os filhos são no fundo, o fruto e solidificação do amor. Sentimento este que já tentei por inúmeras vezes descrever e arranhar seus conceitos nesse blog, com muito pouco sucesso, evidentemente. O amor é o sentido da vida, é essa troca de amor que ocorre entre os amantes que será repassada a um novo ser. O nascimento de um ser humano é a reprodução desse amor, amor entre o homem e a mulher, e entre pais e filho, uma micro relação representativa do que deveria ser a constituição do mundo todo. Repassar esse sentimento acho que é o que de melhor podemos doar ao mundo.

Já amo meu filho ou filha como nunca amei nada nessa vida, e certamente amo a todos que já amava com muito mais intensidade do que antes 🙂

PS: Esse é só um bebê representativo, não é o meu bebê ainda não 😛

Anúncios
Esse post foi publicado em Marcel, Política e Economia e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Pais e Filhos…

  1. MatosSams disse:

    Olá, gostaria de te convidar para partipar de uma rede de troca de conteúdo, para mais detalhes me manda um email ok. Abraços. Matos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s