Kit anti-homofobia que seria distribuído pelo governo

Eis os vídeos que seriam passadoas aos estudantes de segundo grau.

O governo desistiu após pressão da bancada evangélica. Desculpa é que não quer apoiar propaganda de opção sexual mas tão somente combate a homofobia.

A única propaganda que tem no vídeo é que ser homossexual, bissexual ou transssexual é normal. Mas se essa propaganda não pode ser feita, como é que se vai combater o preconceito?

Se você vir os vídeos no próprio youtube, verá comentários como: o vídeo estimula as pessoas a serem gays, ao falar que isso é normal. Ou seja, as pessoas acham que quem tem atração por pessoas do mesmo sexo, ambos os sexos ou quer ser transssexual tem que reprimir seus desejos e vontades. E que falar que é normal é impedir esse recalque.

Se tem alguma coisa a se criticar no filme, é se seria mesmo efetivo no combate a homofobia, ou vídeos melhores poderiam ter sido feitos. Sinceramente, não sei dizer.

Sobre Manoel Galdino

Corinthiano, Bayesiano e Doutor em ciência Política pela USP.
Esse post foi publicado em Manoel Galdino, Política e Economia e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Kit anti-homofobia que seria distribuído pelo governo

  1. Humberto disse:

    No Brasil de hoje é melhor ser uma árvore do que ser professor

  2. elisabete disse:

    o primeiro video não achei legal, pode colocar dúvidas em adolecentes sobre sua sexualidade e assim o levaria a achar que é gay.E as opções tem uma complexidade muito grande ,não tão simples .
    Os outros videos achei bom ,pois mostra um pouco que os gay são pessoas como todas as outras e aí pode levar a amenisar todo esse preconceito; acho que esse pode ser o caminho ,os videos tem que ser melhores estudados para não incentivar qualquer adimiração ou outro sentimento que o adolecente sinta por uma pessoa do mesmo sexo ele já assuma que é gay., ou pense que é gay, as coisas não são assim ,podemser confusos todos esse sentimentos.

  3. Elisabete,

    A questão é: pode colocar dúvidas em adolescentes sobre a sexualidade deles e assim os levarem a achar que são heterossexuais, mas não dúvidas pra acharem que são gay?
    Compartilho da preocupação sobre a confusão com um assunto que é complicado e bastante caro pra maioria, mas a “normalidade” heterossexual não ajuda os gays, assim como uma pretensa normalidade gay não ajudará os heterossexuais. Melhor é reconhecer que as coisa são confusas mesmo e cada um terá seu jeito de lidar com a coisa: experimentando, evitando etc. Mas sempre sem preconceitos…

  4. Gabriel disse:

    Os videos não são bons, me pergunto se foram feitos levando em consideração os pontos de vista daqueles que se beneficiariam com esses manifestos anti-homofóbicos. Como homossexual, eu não me identifiquei com nenhum desses videos. Concordo quando se diz que o primeiro vídeo eh indutivo, porque a ideia de dobrar as chances de encontrar a(o) companheira(ro) realmente pode vir a seduzir crianças cujo discernimento e personalidade ainda não esteja efetivamente definido. O segundo vídeo não eh tao ruim, mas do meu ponto de vista, ele não retrata da melhor forma o drama de pessoas cuja IMPOSIÇÃO SEXUAL seja diferente. Se queremos realmente conscientizar a população causando impacto, cenas de abraco não são nem um pouco suficientes, pois relacionamento homossexual envolve um pouco mais de caricia do que apenas abraços. E não venham me dizer que seria inapropriado, pois em TV aberta temos acesso a sexualidade exacerbada ate mesmo para crianças, que na minha opinião, são inapropriadas. O terceiro eh o pior, cria um esteriótipo, que por experiencia pessoal representa uma minoria, nem todos os gays querem trocar de sexo, ou querem ser tratados como mulher, nem todos são transexuais, pelo contrario, se entendem como homens e tem orgulho disso.
    Acima de tudo, parabenizo a iniciativa, que mostra que o governo esta se apropriando da causa, mas os videos poderiam sim ser mais elaborados.

  5. Eu realmente acho que é difícil fazer vídeos para combater preconceitos. Acho que essa é uma discussão meio “técnica”, mas que é importante e precisa ser feita, para além da questão política de se deve ou não ter esse tipo de intervenção.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s