Python em máquina virtual (com Linux)

Aproveitei que estava doente e descansei configurando meu computador para rodar python em uma máquina virtual com linux. Aqui vai uma breve documentação de como fazer isso.

  1. Máquina virtual

Eu escolhi instalar o virtual box no meu windows 10 para rodar minha máquina virtual. É simples e fácil de instalar. Eu não precisei configurar teclado, mouse ou acesso à internet. Foi tudo automático. Para  baixar, basta acessar o site da Oracle e baixar o arquivo correspondente ao seu SO. Depois, eu segui o passo-a-passo do site da TechTudo, que explica tudo direitinho sobre como configurar o linux. No meu caso, eu escolhi minha máquina virtual com 2gb de ram e 10gb de HD. Se você tiver mais espaço do que eu tenho (meu notebook é ssd com 128gb de espaço apenas), recomendo deixar 20gb. Depois que instalei tudo do python fiquei com pouco mais de 2gb livres, o que acho relativamente pouco.

Um detalhe da configuração da VM que tive um pouco de dificuldade foi que precisei baixar o Ubuntu em formato .iso para utilizar a opção de disco virtual. Mas depois que entendi isso foi tranquilo.

2. Python

Para instalar o Python, depois de muito pesquisar, perguntar e perambular por aí, resolvi utilizar a distribuição Anaconda. A vantagem da Anaconda é que muita coisa já vem instalada e facilitada, particularmente a instalação de pacotes. Eu escolhi a instalação miniconda, que é menor e mais rápida. A documentação que eu utilizei foi essa aqui. Basta seguir os passos deles para instalar a distribuição. Mas basicamente você baixa o instalador pelo navegador da máquina virtual e aí basta rodar:

bash Anaconda3-4.4.0-Linux-x86_64.sh

Quando eu rodei, o comando não funcionou, pois tem toda aquela história de apontar para o caminho certo etc. Então, se isso acontecer com você, basta apontar seu diretório no terminal para onde você fez o download e aí rodar o comando acima. Os comandos ls e cd são úteis para mudar diretório no terminal do linux. Ls lista as pastas existentes e cd pasta1 vai para o diretório seguinte. E cd .. (com o espaço) para voltar.

Eu recomendo fazer o test drive do conda depois de instalá-lo, se você não tem familiaridade com essa distribuição.

Por fim, resta saber que IDE utilizar com o python. Eu decidi pela spyder, pois é voltado para análise de dados, parecida com o Rstudio (que já estou acostumado) e é fácil de instalar com a distribuição Conda. Eu demorei um tempão para descobrir que dava para instalar o Spyder com o Conda e fiquei tentando instalar do modo tradicional (com pip install) e não estava dando certo. Então, com o Conda, basta rodar:

conda install spyder

E é isso. Depois basta digitar spyder no terminal e ele vai abrir a IDE. Qualquer dúvida, só mandar nos comentários, que eu tento ajudar.

Anúncios

Sobre Manoel Galdino

Corinthiano, Bayesiano e Doutor em ciência Política pela USP.
Esse post foi publicado em estatística, programação e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s